quinta-feira, 28 de março de 2013

Me chamaram de velho

Hoje, um colega do jornalismo me chamou de velho. 

Discutíamos sobre um termo, se deveria ou não ser usado. Argumentei que a utilização permanente da linguagem dita moderna carece de cultura, não a cultura pedante dos bancos acadêmicos, mas aquela do olhar, do toque no ambiente. 

Somos aculturados, sabemos tudo sobre o resto do mundo e ignoramos aquilo que nos rodeia. 

E quando um argumento prevaleceu sobre o outro:

- Bah! Tu é um velho mesmo! Não dá pra discutir contigo!

Como sou velho, concordei com a expressão “moderna” e a paz segue reinando no trabalho. 

Há pouco quando completei quarenta e nove anos, fui tomado por pensamentos sobre meu futuro. Que tempo ainda tenho de vida? Terei boa saúde? Conseguirei acompanhar as mudanças para estar presente à minha Filha?

Lembro de minha avó Angelina que criou sozinha doze filhos e me sinto feliz por já ser velho (segundo meu colega) e ainda ter uma velhice inteira para viver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário